O que aconteceu na minha vida?

Leia mais

Evolução de estilo das liars

Leia mais

Você já ouviu The Amazons?

Leia mais

05/09/2013

Meus devaneios




Eu nunca senti nada forte por ninguém. Lembro que no início da minha adolescência eu  não pensava em namorar, ou coisa do tipo. Já as minhas amigas, tinham uma necessidade enorme de ter um namoradinho, de achar bonitinho a cada carinha que vissem por metro quadrado, ou melhor dizer, de achar bonitos os carinhas do colégio inteiro. - Ok, não exagera!

Mas,  o que importa mesmo é que eu não me interessava, cheguei a pensar que seria muito difícil eu ser domada por um romance qualquer, pra mim era tudo tão meloso, que eu dizia não, não mesmo pra qualquer melodrama.

É, mas o peixe morre pela boca, e lá estava eu com uma necessidade pra encontrar o "amor" que eu não sei de onde surgiu. - Mas, que amor? Ok, eu sei que sou a única que posso responder isso, mas eu também não sei.

Mas percebo que era só a necessidade de descobrir o que é esse tal de amor  que todos falavam e que todos juravam sentir, eu caí no embalo sem saber ao certo o significado e de quem o merecia. Só que a primeira tentativa aos 16 anos de idade foi sem sucesso, sim exatos 16 anos quando tive meu primeiro namoradinho. - Ok, "nem tudo são flores", mas não podia desistir do "amor", não é?

Pois bem, confesso que foram tentativas em vão, situações uma pior que a outra, choros, sorrisos, raiva e alegria, mas tudo superado, afinal eu só queria descobrir o tal do "amor", e enquanto eu não descobria, era natural eu me frustrar um pouco.

Totalizando 4 anos, exatos 48 meses de pura frustrações, momentos de indecisões, medo e revoltas.

Sim, meus 20 anos de idade chegou, eu poderia acreditar de novo, tentar me frustrar menos e sonhar mais, mas como havia dito anteriormente: - "Nem tudo são flores".

Eu poderia com essa idade estar completamente apaixonada, vivendo mil aventuras, tendo um romance qualquer e planejando um futuro com alguém aí. É mas as coisas caminham sempre na mesma direção e não em direção ao contrária, pois aí que está, tem coisas na minha vida que toma outros rumos e andam literalmente na contra mão, e aí chega uma hora que não evoluí, é como uma simples multa de trânsito. - O radar eletrônico flagrou a minha vida andando na contra mão!

Mas, eu não tenho tempo a perder, talvez eu já tenha perdido tempo demais em ser compreensiva, em acreditar demais e achar que estava tudo bem demais para ser verdade, mas na realidade era tudo de menos e existia um vazio inexplicável.

Meu primeiro namoro aos 16 anos de idade, e meu ultimo namoro aos 20 anos de idade. É... a minha caçada em busca do amor não deu muito certo, ainda não, pois eu creio que eu posso olhar em minha volta e avistar alguém, e sentir algo que eu nunca havia sentido antes. - Pode ser você, pode ser um alguém aí, afinal quem sabe ?!

Bom, descobri que não é preciso ter pressa pra encontrar o amor, o amor aparece, o amor vem, sem necessidade de desespero. Se você aí esta querendo ser notado por alguém, fazendo cambalhotas, fazendo saltos mortais e até sinal de fumaça, Ei tenha calma, você é o que é, e a pessoa certa notará o quão você é especial sem desespero algum, te notará apenas nas atitudes simples da vida. Apenas aprenda a enxergar o que há em sua volta e seja feliz, e não dependa do amor para ser feliz, pois "O amor aparece, ele vem", mas saiba que é apenas para completar a sua felicidade.


Autora: Geh Guimarães, viajante nas suas ideias, lunática ao extremo.




2 comentários :

  1. Boa noite flor. ♥
    Vim deixar o meu cheirinho
    Adorei!
    :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou linda, obrigada pela sua visita volte sempre! beijos

      Excluir

♥ Deixe seu comentário.
♥ Nada de comentários ofensivos ou divulgação.
♥ Sua opinião é bastante importante.